Atividades recreativas


Segue algumas sugestões de brincadeiras recreativas:

Elementos básicos da psicomotricidade



A psicomotricidade é uma técnica que procura destacar a relação existente entre a motricidade, a mente e a afetividade facilitando a abordagem global da criança.

1.Esquema corporal

Ao conhecimento intuitivo, imediato que a criança tem do próprio corpo, capaz de gerar nela as possibilidades de atuar sobre as partes do seu corpo, sobre o mundo exterior e sobre os objetos que a cercam denomina-se esquema corporal.

A própria criança percebe-se e percebe os seres e as coisas que a cercam, em função de sua pessoa. Sua personalidade se desenvolverá graças a uma progressiva tomada de consciência de seu corpo, de seu ser, de suas possibilidades de agir e de transformar o mundo à sua volta.

A criança se sentirá bem à medida que seu corpo lhe obedece, que o conhece bem, que pode utilizá-lo não somente para movimentar-se mas também para agir.

2. Coordenação dinâmica geral

É constituída de exercícios de equilíbrio, que é a base essencial da coordenação dinâmica geral.

Os exercícios de equilíbrio têm como finalidade melhorar o comando nervoso, a precisão motora e o controle global dos deslocamentos, do corpo no tempo e no espaço.

3. Coordenação visomotora

Os exercícios de coordenação visomotora têm como finalidade o domínio de campo visual, associado à motricidade fina das mãos, dois elementos básicos para o grafismo.

São exercícios extremamente atraentes à criança, pois são apresentados em forma de jogos de bola, onde a destreza, o controle muscular (força) e a leveza dos movimentos melhoram a habilidade manual solicitada pelo grafismo.

4.Lateralidade

Durante o crescimento, naturalmente se define o domínio lateral na criança: será mais forte, mais ágil do lado direito ou esquerdo. A lateralidade corresponde a dados neurológicos, mas também é influenciada por certos hábitos sociais.

Não devemos confundir lateralidade (domínio de um lado em relação ao outro, em termos de força e precisão) e conhecimento “esquerda-direita” (domínio dos termos esquerda e direita).

O conhecimento “esquerda-direita” decorre da noção de domínio lateral. É a generalização da percepção do eixo corporal de tudo o que cerca a criança: esse conhecimento será mais facilmente aprendido quanto mais acentuada e homogênea for a lateralidade da criança.Com efeito, se a criança percebe que trabalha naturalmente com aquela mão,guardará sem dificuldades que “aquela mão” é a esquerda ou a direita. Caso haja hesitação na escolha da mão,a noção de “esquerda-direita” não poderá firmar-se com segurança.Da mesma forma,em caso de lateralidade cruzada, a criança confundirá facilmente os termos direita e esquerda, por ser ora forte do lado direito ora mais forte do lado esquerdo.

O conhecimento estável de esquerda e de direita só é possível aos 5 ou 6 anos, e a reversibilidade (possibilidade de reconhecer a mão direita ou a mão esquerda de uma pessoa à sua frente) não pode ser abordada antes dos 6 anos ou seis anos e meio. De fato, esse estudo precede os de simetria em orientação espacial.



5. Organização e estruturação espacial

É a orientação, a estruturação do mundo exterior referindo-se primeiro ao seu referencial, depois a outros objetos ou pessoas em posição estática ou em movimento.

A estruturação espacial significa:

.a tomada de consciência da situação de seu próprio corpo no meio ambiente, isto é, de lugar e da orientação que pode ter em relação às pessoas e as coisas.

.a tomada de consciência da situação das coisas entre si.

.a possibilidade de organizar-se perante o mundo que a cerca, de organizar as coisas entre si, de colocá-las em um lugar, de movimentá-las.

A todo instante, a criança encontra-se em um espaço bem preciso, onde lhe é solicitada:

.que se situe( está sentada em uma cadeira, diante de uma mesa).

.que situe um objeto em relação à outro (a vasilha de tinta encontra-se do lado de sua folha, o pincel está dentro da vasilha de tinta).

.que se organize em função do espaço de que dispõe (espontaneamente a criança desenha um sol no canto superior da folha, uma casa no meio e uma árvore à direita da casa).

.a estruturação espacial é portanto, parte integrante de nossa vida: aliás, é difícil dissociar os três elementos fundamentais da psicomotricidade – corpo – espaço- tempo,e quando operamos com toda essa dissociação, limitamo-nos a um aspecto bem preciso e restrito da realidade.





De quem é o desenho?
Dinâmica  





Dinâmica enviada pela Profª Bruna

Grupo: Até 20 pessoas (crianças ou adolescentes).

Objetivo: Reconhecer o talento dos colegas.

Tempo: Cerca de uma hora, dependendo do tamanho do grupo.

Local: Uma sala suficientemente ampla com cadeiras para acomodar todas as pessoas participantes.

Material: Toca-fitas com boa potência. Folhas avulsas de sulfite, lápis e borracha.

Desenvolvimento: O professor deverá fazer dois grupos de alunos em dois círculos na sala com as carteiras.

Colocar uma música e distribuir as folhas para os alunos que deverão desenhar qualquer coisa ou a critério do professor.

Quando o professor parar a música, os alunos deverão passar a folha para o colega da direita (a folha não deverá ter nome) até o professor dar o sinal de parar.

Na hora que chegar a folha na primeira pessoa do grupo esse mesmo colega tenta adivinhar de quem é o desenho.

Podem-se trocar as folhas entre os grupos ou não.

Se um do grupo acertar de quem é o desenho, o grupo ganha um ponto e se não acertar, um ponto para o outro grupo. E assim continua a brincadeira.

Conclusão: abordagem às vivências do Grupo, criatividade e o conhecimento de cada integrante.























































































































































































































Nenhum comentário:

Postar um comentário